notícias

Mesmo com pandemia, aumenta número de beneficiários de planos de saúde

Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar mostram que total de usuários é o maior dos últimos cinco anos

por Saúde Debate

25/05/2021
Sobre: Aumenta o número de usuários dos planos de saúde: maior patamar desde 2016
Créditos: Pixabay

Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), disponibilizados em maio, mostram que o setor manteve a tendência de aumento do número de beneficiários, atingindo, no mês de abril de 2021, o maior patamar em quase cinco anos. Os planos de saúde reúnem atualmente 48,1 milhões de usuários.


O número preliminar de beneficiários em planos de assistência médica segue a tendência de crescimento. Em abril, atingiu 48.103.656 usuários, um aumento de 0,26% em relação a março. É o maior número registrado desde julho de 2016. Antes disso, quando verificada a evolução mensal, só foi superado em junho daquele ano, quando o setor atingiu 48.263.518 beneficiários nessa segmentação.


Leia também - Medicina Integrativa favorece redução na busca por Pronto Atendimento


Leia também - Seis tendências da saúde digital para o futuro


Em um ano - de abril de 2020 a abril de 2021 -, o crescimento ocorreu em todas as modalidades de contratação do plano, com destaque para os planos coletivos empresariais, com variação positiva de 3,15% no mês. Considerando o tipo de contratação do plano e a faixa etária do beneficiário, observa-se que a variação se mantém positiva para os beneficiários acima de 59 anos em todos os tipos de contratação no período de um ano.

 

Demandas dos consumidores

 

O boletim da ANS mostra ainda queda no número de reclamações – tanto gerais como demandas específicas sobre Covid-19 – no comparativo com março. Em abril, foram registradas 13.094 reclamações pelos canais de atendimento da ANS, redução de 14,1% em comparação com o mês anterior. Em relação às reclamações específicas sobre Covid-19, foram registradas 1.324 queixas em abril, ante 1.525 reclamações relativas ao tema em março, queda de 13,2%, aproximadamente. 

 

Do total de reclamações relacionadas ao coronavírus nesse mês, 40% dizem respeito a dificuldades relativas à realização de exames e tratamento, 46% se referem a outras assistências afetadas pela pandemia e 14% são reclamações sobre temas não assistenciais (contratos e regulamentos, por exemplo).  


A ANS esclarece que essa classificação considera o relato do consumidor ao cadastrar sua demanda na ANS, sem análise de mérito sobre eventual infração da operadora ou da administradora de benefícios. A agência ainda informou que, entre os meses de março a dezembro de 2020, houve índices de resolutividade superiores a 90%, considerando todas as demandas cadastradas na ANS no período, que foram passíveis de mediação, inclusive em demandas relacionadas com a Covid-19.

 

Confira o levantamento da ANS clicando aqui.


Leia também - Novos caminhos para a proteção de dados na saúde




leia também