notícias

Mais viroses nas crianças com o retorno às aulas

Pediatra lembra que sistema imunológico dos pequenos vai responder de forma diferente depois do período de isolamento

por Saúde Debate, com informações da assessoria de imprensa

13/10/2021
Sobre: Cuidados em casa também evitam mais viroses nas crianças com o retorno às aulas
Créditos: Prostooleh / Freepik

A flexibilização de medidas relacionadas à pandemia de Covid-19 afetou diretamente a rotina escolar. E, com isso, uma constatação: o registro de mais viroses nas crianças com o retorno às aulas presenciais. Esses casos se tornaram frequentes e devem ser acompanhados de perto porque podem levar à internação.


O médico pediatra Marcelo Iampolsky, professor de Medicina do Centro Universitário São Camilo, explica que a quantidade mais viroses nas crianças com o retorno das aulas faz parte de um movimento de maior convivência em sala de aula. Somado a isso, existe um fator importante relacionado à própria pandemia: com o isolamento social de vários meses, o sistema imunológico de crianças e adolescentes sentiu mais esse novo cenário. Por isso, está acontecendo uma maior necessidade de internar os pacientes desta faixa etária com viroses.


Leia também - Atividade física deve fazer parte da rotina das crianças durante isolamento


Leia também - Como estimular a autonomia das crianças desde cedo


“Uma criança que ficou muito tempo isolada teve seu sistema imunológico “em repouso’, então é natural que quando ela começa a entrar em contato com os vírus demore mais a ativar aquela lembrança imunológica que já tem. O nosso sistema imune tem que ser treinado, por isso temos doses de reforço das vacinas, para que o corpo se lembre de como produzir os anticorpos”, explica.


De acordo com Iampolsky, mais viroses nas crianças com o retorno às aulas é uma situação que deve ser monitorada. Até porque é mais provável que as crianças infectadas por uma virose desenvolvam mais sintomas até que seus organismos produzam anticorpos para responder à infecção. “Isso pode fazer com que elas precisem ser internadas para tratar a virose. Não significa que é um caso mais grave, mas sim demora maior do sistema imunológico”, afirma.


O médico pediatra lembra que as viroses também são transmitidas por contato e por vias aéreas, assim como o coronavírus. Por isso, os pais devem tomar cuidado ao chegar em casa para evitar mais viroses nas crianças com o retorno às aulas. Tudo está interligado. "Evitar entrar com os sapatos sujos, lavar as mãos antes de se alimentar e tomar banho ao voltar de ambientes externos. Também é importante manter a casa bem ventilada, evitando ambientes fechados", aconselha.


Quando as viroses se instalam, os sintomas podem variar conforme a faixa etária. Mas um sinal que merece atenção é a falta de apetite, de acordo com o médico. Devem devem ser observados sintomas como apatia, sonolência ou cansaço; choro mais persistente e sem causa aparente; febre (mais frequente em crianças maiores); diarreia; vômito; dor de cabeça; e lesões cutâneas, como manchas avermelhadas e bolhas. “Estamos vivendo um momento em que, até que se prove o contrário, pensamos logo em Covid-19. Por isso, ao surgir qualquer sintoma é importante procurar um médico para fazer o diagnóstico da criança", orienta.


Leia também - Como pensar no bem-estar e na saúde mental das crianças


Leia também: Comportamento das crianças e a TOD: você conhece o Transtorno Opositor Desafiador?




leia também