notícias

Como prevenir a trombose?

Dia Mundial da Trombose, lembrado em 13 de outubro, alerta sobre a importância da prevenção

por Saúde Debate

13/10/2021
Sobre: Campanhas enfatizam as informações sobre como prevenir a trombose
Créditos: Freepik

Ao longo do mês de outubro, diferentes entidades promovem campanhas de conscientização para alertar sobre os perigos da trombose. O objetivo é mostrar à população como prevenir a trombose antes que a doença traga consequências mais graves. A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular – Regional São Paulo (SBACV-SP), com o apoio da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Nacional (SBACV), publica uma série de vídeos nas redes sociais com a #CanceleATrombose. 


Saber como prevenir a trombose é essencial porque a doença se mostra silenciosa no início. Ela se manifesta por meio de inchaço nos tornozelos, dor, sensação de cansaço e peso nas pernas, principalmente no final do dia. O médico especialista em angiologia, cirurgia vascular e endovascular, José Fernando Macedo, diretor do Instituto de Angiologia e Cirurgia Vascular (IACVC), explica que a trombose pode trazer complicações graves. "Trata-se de uma doença que pode ser muito grave e é causada pela formação de coágulos – também chamados trombos – no interior das veias profundas, principalmente na panturrilha, a conhecida batata da perna", alerta Macedo.


Leia também - Prevenção da trombose: cuidado essencial para a saúde


Leia também - Redução de atividade durante isolamento é fator de risco para trombose


A SBACV estima que a incidência da trombose no Brasil seja em torno de um a dois casos a cada mil habitantes ao ano, ou seja, até 400 mil casos por ano. Estudos internacionais relatam ocorrências maiores, que chegam a três casos por mil habitantes por ano. 


Conhecendo mais a trombose


São dois tipos de trombose: a arterial e a venosa. Na trombose arterial há um predomínio de plaquetas que geralmente se instalam sobre uma placa de cálcio ou gordura. Esta formação de coágulos, dentro do coração, pode se deslocar por meio da circulação sanguínea e obstruir uma artéria, em um processo chamado de embolia.


Na trombose venosa, a obstrução de veias - principais ou secundárias - acontece principalmente nos membros inferiores. Estes casos estão associados a fatores de riscos, na maioria dos casos. Na trombose venosa, os coágulos formados nas veias contam com predomínio de células do sangue ligadas a fatores de coagulação. Esses também podem se desprender e atingir os pulmões, causando uma embolia pulmonar - esta pode ser fatal. As tromboses venosas profundas (TVP) podem ser inicialmente silenciosas, ou seja, sem a indicação de sintomas.


"Mesmo que isso não aconteça (quadros mais graves), a trombose pode provocar uma insuficiência venosa crônica, com destruição das válvulas no interior das veias. Sem elas, o retorno do sangue ao coração fica comprometido", esclarece Macedo.


Fatores de risco e prevenção da trombose


De acordo com o médico, os principais fatores de risco são: possuir histórico familiar para a doença; idade acima de 50 anos; sedentarismo; e uso de hormônios. 


A partir disto, como prevenir a trombose? Macedo lembra que é importante fazer atividade física, mesmo que de leve intensidade. O ideal é evitar ficar muito tempo parado na mesma posição. Outra dica é apostar em uma alimentação que pode favorecer a circulação sanguínea. Isso pode ser feito com a ingestão de azeite de oliva, alho, alcachofra, aipo, mirtilos, açaí, limão e uvas. Os vilões são excesso de sódio (sal) e aditivos químicos de alimentos industrializados. 


O presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), Bruno Naves, ainda lembra que, em função de uma maior longevidade da população brasileira, as informações sobre como prevenir a trombose devem ser ainda mais disseminadas. “Uma longevidade ativa e saudável é a aspiração de todos e exige atitude e informação de qualidade. É melhor cuidar da saúde do que da doença”, diz.


* Com informações das assessorias de imprensa


Leia também - Isolamento social: sedentarismo pode aumentar risco de trombose


Leia também - Covid-19 e trombose: qual explicação para a relação entre as duas doenças?



leia também