Como a pandemia tem exigido mais dos psicólogos

Neste 27 de agosto se comemora o Dia do Psicólogo. A profissão ganhou um grande destaque neste período de pandemia. A neuropsicóloga Leninha Wagner revela que os psicólogos foram altamente requisitados, principalmente para aplacar o momento negativo que todos atravessavam por contingência da vida, torna-se urgente a busca por um alívio para a carga mental e dores da alma. Assim, a pandemia tem exigido mais dos psicólogos.

“Lidar com insegurança financeira, instabilidade emocional, distanciamento social, confinamento, frustração profissional, medo da morte iminente, luto… Tudo isso não foi tarefa fácil para ninguém. Mas ainda não acabou, tanto que estamos agora experimentando os efeitos colaterais do trabalho home office, da escola on-line, da falta de festas e eventos, do calor humano e o terror de uma nova onda provocada por uma mutação do coronavírus”, detalha.

Leia também – A relação do ser humano com a saúde mental mudou

Leia também – Como está a saúde mental dos brasileiros na pandemia?

De acordo com o psicólogo Alessandro Scaranto, “a saúde mental se tornou um termo muito popular na pandemia. Isso porque as pessoas perceberam os impactos que grandes mudanças podem gerar na vida de cada um”. Para ele, embora possa não ser visto com os olhos, os problemas emocionais são determinantes da qualidade de vida de uma pessoa. Assim, a pandemia tem exigido mais dos psicólogos não só pela quantidade de pessoas procurando ajuda, mas também pelos próprios desafios do momento.

Scaranto afirma que uma boa saúde mental está intrinsecamente ligada à uma boa qualidade de vida. Pessoas que se sentem bem consigo mesmas e têm uma boa autoestima conseguem controlar as suas emoções e se permitem viver da melhor forma possível, de modo a se aceitarem e a entenderem as coisas boas da vida. Na maioria das vezes, essas são pessoas que investem na psicoterapia, de acordo com ele.

No entanto, Scaranto enfatiza que “os psicólogos não trazem felicidade a ninguém e sim identificam ferramentas que são inerentes de cada um para que essa busca seja constante e a pessoa consiga manejar seus sentimentos, angústias e problemas em uma imersão individual dentro de si mesmo”. Por isso, o papel do psicólogo dentro da sociedade é de extrema importância por potencializar o indivíduo na elaboração de suas questões mais dolorosas.

Dentro de um cenário tão impactante, assustador e inseguro como o da pandemia, fazer o acompanhamento com um psicólogo pode ajudar a manejar as emoções de forma saudável e proporcionar uma maior qualidade de vida.

<

p class=”ql-align-center”>(Foto: Freepik)

É atribuída ao psicólogo “a escuta desprovida de crenças, valores, julgamentos e só assim chega-se a desnudar as camadas físicas do corpo, até roçar sua mente e interpretar seu inconsciente, onde tudo nasce e aparece”. A neuropsicóloga Leninha Wagner lembra que o profissional da saúde mental tem a sensibilidade de escutar o silêncio que eventualmente se impõe, pela falta de palavra do paciente, que explique a si mesmo. Além disso, isso implica acreditar na “verdade do outro”. “Crer no sentimento verdadeiro que se esconde por detrás de cada palavra, salta a cada espasmo do corpo que se revela por inteiro no brilho do olhar – janelas abertas da alma”, salienta.

Diante deste cenário, Leninha adverte: “Sem saúde mental não poderá haver saúde alguma. Todo adoecimento começa na mente, quando se manifesta no somático o psíquico já está em sofrimento há algum tempo. Fique atento aos sinais enviados pela sua mente para o seu corpo físico”, completa.

Scaranto explica que cuidar da saúde mental não é “frescura” ou “mimimi”. Cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da física. Isso porque, assim como problemas físicos podem desencadear emoções devastadoras, “Os problemas emocionais têm grande poder de desenvolverem doenças físicas. A saúde mental é o alicerce do seu sistema imunológico”, afirma Alessandro Scaranto.

Desse modo, os psicólogos são profissionais que se dedicam, principalmente, a potencializar o crescimento individual de cada um. Dar a possibilidade aos pacientes levarem as suas vidas da melhor forma possível, do modo e do jeito que querem e precisam, e da forma como eles se sentem bem. Esse é o objetivo dessa ciência tão essencial para a vida humana, a psicologia.

Leia também – Como a meditação pode ajudar na saúde mental?

Leia também – Saúde mental: a busca pelo propósito de vida