notícias

OMS suspende pesquisas sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19

Suspensão ocorreu após divulgação de estudo com riscos para pacientes que recebem o medicamento

por Saúde Debate, com informações de agências

25/05/2020
Sobre: O uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 é alvo de pesquisas em todo o mundo
Créditos: Freepik

Atualização em 03 de junho: OMS anuncia retomada de testes com hidroxicloroquina para Covid-19


Atualização sobre o tema em 17 de junho: OMS anuncia nova suspensão de testes com hidroxicloroquina




A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta segunda-feira (25 de maio) a suspensão de pesquisas sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19, a infecção causada pelo novo coronavírus. A suspensão abrange trabalhos coordenados pela entidade e que contavam com a participação de cientistas de 100 países.


Segundo a OMS, a interrupção é temporária. A decisão foi tomada até uma reavaliação da segurança do medicamento. Isto porque estudos recentes mostraram que ela não é eficaz contra a doença e ainda pode apresentar riscos aos pacientes.


Leia também - Ministério da Saúde publica novo protocolo para a aplicação de cloroquina e hidroxicloroquina durante o tratamento da Covid-19


Leia também - Instituição paranaense conduz estudo sobre efeitos da cloroquina e da hidroxicloroquina


Leia também - CFM condiciona uso de cloroquina e hidroxicloroquina a critério médico e consentimento do paciente


A organização ainda informou que estão mantidos os demais testes que coordena dentro de uma iniciativa internacional chamada de "Solidariedade". Os pesquisadores seguem observando os resultados de três três tipos de antivirais e de um remédio usado para tratar esclerose múltipla no tratamento da Covid-19.


A decisão pela suspensão das pesquisas sobre o uso da hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19 ocorreu após a publicação do estudo publicado na revista The Lancet no dia 22 de maio. O trabalho, com 96 mil pessoas, apontou que a cloroquina e a hidroxicloroquina aumentam os riscos de arritmia cardíaca nos pacientes que receberam os medicamentos durante o tratamento da Covid-19.


No Brasil, os dois medicamentos constam em um protocolo divulgado pelo Ministério da Saúde para o tratamento da doença. As drogas são indicadas mesmo para pacientes com sintomas leves.


Leia também - Números do novo coronavírus no Brasil e no Paraná

leia também