notícias

Ministério da Saúde sinaliza redução no intervalo de aplicação de vacinas contra Covid-19

Segundo ministro Queiroga, é "muito provável" que seja anunciada a redução do intervalo entre as doses da vacina da Pfizer

por Saúde Debate

26/07/2021
Sobre: Redução no intervalo de aplicação de vacinas contra Covid-19 vem sendo discutida nas últimas semanas
Créditos: Freepik

Nesta segunda-feira (26 de julho), o Ministério da Saúde sinalizou a redução no intervalo de aplicação de vacinas contra Covid-19. A afirmação foi dada pelo ministro Marcelo Queiroga ao jornal Folha de São Paulo, indicando ser "muito provável" o anúncio da redução do intervalo entre as doses da vacina da Pfizer. O período entre a primeira e a segunda dose sairia dos três meses para 21 dias.


Esse intervalo de 21 dias está indicado na bula da vacina da Pfizer. Mas o intervalo maior foi colocado no país para que fosse possível imunizar uma maior quantidade de pessoas. Agora, o Ministério da Saúde prevê essa redução em função do atual contexto da pandemia, com o avanço da variante Delta.


Leia também - Reduzir o intervalo de aplicação da segunda dose da vacina pode ser uma boa estratégia?


Leia também - Como estão as pesquisas para saber se as vacinas são eficazes contra a Variante Delta?


Além disso, de acordo com o ministro, existe nesse momento uma maior certeza sobre as entregas dos imunizantes por parte da Pfizer, o que permitirá a elaboração de um novo plano de logística.


O Ministério da Saúde informou que a redução do intervalo de aplicação de vacinas contra Covid-19, no caso a Pfizer e a AstraZeneca, está sendo analisada pela Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmisssíveis da pasta.


O assunto vem levantando discussões nas últimas semanas e alguns estados chegaram a anunciar a redução do intervalo de aplicação de vacinas, enquanto outros esperam a definição do Ministério da Saúde para o Plano Nacional de Imunizações.


* Com informações do UOL


Neste mês, algumas sociedades médicas se posicionaram contra a alteração, enquanto há especialistas defendendo a redução para o avanço da imunização no país.


Leia também - Quais são os sintomas causados pela variante indiana?

leia também