notícias

Novas tecnologias em saúde: impactos nos planos e aos usuários

Ao Saúde Debate, Luiz Henrique Picolo Furlan, da Unimed Paraná, explicou como todas essas mudanças impactam os valores dos planos individuais e coletivos

por Saúde Debate

10/01/2022
Sobre: Furlan também comentou quais medidas que podem otimizar custos
Créditos: Reprodução

A incorporação de novas tecnologias - seja em equipamentos, procedimentos e medicação - altera os custos das operadoras de planos de saúde. Com a Resolução Normativa 470, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), em vigor desde julho de 2021, o rol de procedimentos agora é atualizado a cada 180 dias. Com isso, as novas tecnologias em saúde trazem impactos nos planos e aos usuários.


Luiz Henrique Picolo Furlan, cardiologista que atua na Unimed Paraná fazendo avaliação de novas tecnologias e valor em saúde, explicou ao Saúde Debate como todas essas mudanças impactam os valores dos planos individuais e coletivos. "Tecnologia em saúde são todos os recursos e insumos que utilizamos para prestar cuidado em saúde. São os medicamentos, equipamentos, prontuário eletrônico, um protocolo clínico... A incorporação de tecnologias em saúde é um dos elementos que mais impacta o aumento do custo assistencial. Outro fator importante é o envelhecimento da população", destaca.


Segundo Furlan, os avanços nas últimas décadas vêm sendo expressivos, o que reflete diretamente em tecnologias que ajudam no manejo e cuidado, além de reduzir a mortalidade. "Por outro lado, toda vez que surge uma nova tecnologia, ela chega com um custo maior do que a tecnologia disponível. Então, isso traz uma pressão no ponto de vista do financiamento da saúde", esclarece.


Acompanhe a entrevista completa:


<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/q7kxvqj-l_c" title="YouTube video player" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; clipboard-write; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>


Confira outros vídeos e entrevistas do Saúde Debate clicando aqui


Acompanhe também os podcasts do Saúde Debate, aqui

leia também