colunas

Janeiro Branco

Aproveitando o mês da campanha em favorecimento da conscientização sobre a importância da saúde mental, vamos falar um pouco sobre isso?

por Jociane Casellas

21/01/2020
Créditos: Campanha Janeiro Branco

Como anda a sua saúde mental?


O que você tem feito para manter-se emocionalmente saudável?


Como vem lidando com suas dores emocionais?


Geralmente nos preocupamos com a saúde do nosso corpo e muitas vezes negligenciamos a saúde da esfera psíquica.


A subjetividade fica em segundo plano, pouca importância damos ao que de fato sentimos, pensamos e fazemos, com relação a nossa vida, ao nosso trabalho, às nossas escolhas e nossas relações. Parece que o que não é visto ou detectável através de exames não é validado. 


Somado a isso, vivemos em um tempo onde tudo passa a assumir um conceito imediatista e acelerado, e tudo aquilo que merece maior reflexão e tempo é deixado nos últimos lugares da nossa lista de prioridades.


Cuidamos da nossa alimentação, da beleza do nosso corpo, vamos à academia, ao médico, ao dentista, mas permanecemos em relações tóxicas, em trabalhos que não nos trazem a mínima satisfação, mantemos a rotina de sempre com medo do novo, tudo isso com um ônus emocional considerável podendo gerar danos ao bom funcionamento do nosso psiquismo. E ao final, esperamos que tudo se resolva num passe de mágica.


Com o objetivo de suscitar mais reflexão quanto à importância da saúde mental da população em geral, a campanha Janeiro Branco vem a cada ano tomando maiores proporções.


Não é um exercício que fazemos com frequência, analisar nossas escolhas e muda-las se for preciso. Nos apropriarmos dos nossos sentimentos e darmos a eles a devida via de expressão. Atentarmos aos nossos pensamentos e recondicioná-los no seu devido tempo e espaço.


Quanto de tempo e espaço mental estamos dando para nosso passado, para o nosso presente e para o nosso futuro?


Aproveitando o inicio de um novo ciclo de 12 meses a campanha nos convida a uma reflexão sobre nossos projetos, o que queremos e o que não queremos para o próximo ano, sobre nossas atitudes, sobre as mudanças que queremos em nossa vida. Tudo isso alinhado ao propósito que cada um busca para sentir-se verdadeiramente pleno e feliz.


E o que de fato cada um de nós está fazendo em prol de nossa saúde mental?


De que forma estamos nos promovendo estabilidade psíquica? Como estamos administrando nossas emoções? Que consciência temos delas e de nós mesmos?


Para que tudo isso seja possível evite acúmulo de situações mal resolvidas, conecte-se com seus sentimentos mais intensos e procure descobrir sua origem, desenvolva a assertividade, delegue funções, perceba sofrimentos por antecipação e transforme-os, olhe para as perdas de maneira diferente, trabalhe seus traumas, demonstre afeto. Esses são só alguns exemplos de como podemos nos manter saudáveis mental e emocionalmente no nosso dia a dia.


E se preciso for, não hesite em procurar ajuda. Esse é o melhor investimento que você pode fazer em você mesmo, afinal o custo do cuidado é sempre menor que o do reparo.

leia também