opinião

Distúrbios do sono afetam a saúde: quais são e o que fazer

Pausas e outros problemas durante o sono impactam diretamente na qualidade de vida

por *Alexandre Annibale

19/11/2021
Créditos: jcomp / Freepik

Uma boa noite de sono é extremamente importante para a saúde humana como um todo e para começar bem o dia, isso já é fato conhecido, afinal, o sono é crucial para fornecer diversos elementos ao corpo humano, como uma produção hormonal equilibrada, ajuda no sistema imunológico, reparação de danos inflamatórios e, entre outras tantas coisas, fixação da memória adquirida.

 

No entanto, dormir bem não significa apenas adormecer durante muitas horas e acordar depois. O sono é um processo ativo composto por uma sequência de fases que se repetem em diferentes ciclos e, por isso, é muito importante que não haja interrupções durante o repouso. Toda fragmentação suficiente para interromper esse processo natural humano pode causar danos à saúde, como os distúrbios do sono — alguns dos responsáveis por causar as indesejadas interrupções.

 

Existem mais de 70 distúrbios do sono catalogados e amplamente estudados pela ciência; entre os mais conhecidos, é possível listar alguns como a insônia, apneia, ronco, bruxismo, sonambulismo, síndrome das pernas inquietas e a narcolepsia. Dados de uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope) divulgados em 2020 mostram que 65% dos brasileiros têm baixa qualidade de sono. Na comparação entre sexos, 71% das mulheres dormem mal, enquanto o percentual masculino é de 57%. Porém, dentre os que afirmaram na pesquisa terem dificuldades para dormir, é baixo o registro da procura por ajuda profissional.

 

A insônia, um dos principais problemas, é caracterizada pela dificuldade para começar a dormir, para se manter dormindo, ou até mesmo pelo fato de o indivíduo acordar antes do tempo desejado e não conseguir voltar a adormecer. Quando manifestada de forma crônica, a insônia é responsável por causar alterações no humor e está diretamente associada ao aumento de doenças cardiovasculares e distúrbios psiquiátricos que podem estar relacionados à ansiedade e depressão. A seguir, estão mais alguns problemas do sono recorrentes entre os brasileiros:

 

Apneia: se caracteriza pelo bloqueio da passagem de ar por no mínimo dez segundos durante o repouso, o que pode causar sufocamento; muitas vezes, o indivíduo não percebe que tem o problema. O ronco é um dos sintomas da apneia, porém, nem todo ronco significa necessariamente um diagnóstico desse distúrbio.

 

Bruxismo: se estabelece quando o indivíduo aperta ou range os dentes durante o sono — também pode ser em estado de atividade, durante o dia — e ocasiona desgaste dentário, pode gerar quebras de dente e, ainda, causar dores musculares na ATM (articulação que une a mandíbula ao crânio).

 

Sonambulismo: também conhecido por muitas pessoas, esse problema acontece durante o sono profundo e se caracteriza pelo desempenho de tarefas pelo indivíduo mesmo enquanto dorme. Nessa situação, a pessoa pode falar, comer, e até caminhar pela casa. Entre as principais consequências indesejadas causadas pelo sonambulismo estão os acidentes — alguns graves, como quedas — que podem acontecer enquanto o indivíduo está adormecido. É importante diferenciar o sonambulismo da "síndrome das pernas inquietas", situação em que a pessoa em repouso mexe involuntariamente membros do corpo.

 

Narcolepsia: Apesar de ser um distúrbio do sono, o problema se caracteriza enquanto a pessoa está acordada. A narcolepsia causa forte sonolência ao longo do dia e, muitas vezes, atinge o indivíduo involuntariamente durante a execução de tarefas importantes.

 

Para realizar tratamentos eficazes e diminuir os impactos negativos ocasionados por todos esses distúrbios, é necessário buscar auxílio profissional, que será realizado de maneira multidisciplinar. As soluções para os problemas serão elaboradas com base no exame do sono (polissonografia), exame clínico e realização de questionários específicos de acordo com cada necessidade e desconforto apresentados pelo paciente. Medicamentos, terapias comportamentais, trabalhos fonoaudiológicos, fisioterápicos e odontológicos estão entre as principais ferramentas para solucionar ou mitigar os diversos problemas apresentados. O intuito final é claro: trazer maior qualidade no sono e, por consequência, melhores dias na vida de todas as pessoas.

 

*Alexandre Annibale é cirurgião dentista, especialista em ortodontia e capacitado em odontologia do sono


Leia outros artigos publicados no Saúde Debate


Conheça também os colunistas do Saúde Debate



leia também